SANTOS: (13) 4141-3193 | 99794-4518 | +351 911-066025 (Emergencial)

NOVIDADES - Cuidados Paliativos - a essência de cuidar de quem você ama

03Jan2020

As pessoas têm vivido mais e, naturalmente, este processo carrega diversas mudanças, tanto físicas, quanto emocionais e sociais. Dentre esses efeitos do tempo estão as doenças crônicas que costumam surgir na terceira idade, muitas vezes, negligenciadas ou tratadas de forma inadequada.

Reconhecer as necessidades da população idosa ainda é um desafio e exige mais informação e conscientização. Cuidados Paliativos ideais para essa fase é um  assunto que ainda gera muitas dúvidas, mas cujo entendimento é salutar para compreender a relação dos princípios da bioética, bem-estar, e qualidade de vida nesta fase.

Transição

Chegar à terceira idade, como falamos, envolve muitas mudanças, mas quando as pessoas adoecem, esta fase pode se tornar dramática e complicada. A pessoa idosa geralmente experimenta uma grande variedade de questionamentos, assim como o desafio de se ajustar, e continuar vivendo nessa nova circunstância, além de enfrentar as manifestações do processo da doença, que envolvem sintomas, mudanças funcionais e psicológicas.

Não é só isso! É comum acontecer transformações decisivas nos relacionamentos, e nos papéis familiares e sociais, resultando na perda de oportunidades e de experiências pessoais de valores, sentido e qualidade de vida. Tais transições provenientes da doença não são desejadas, pois elas, muitas vezes, são vistas como uma ameaça para as futuras experiências.

Os cuidados paliativos consideram todos estes aspectos, pois visam garantir mais dignidade e conforto, tanto para o idoso quanto para seus familiares.

Afinal, o que são cuidados paliativos?

Cuidados Paliativos consistem no atendimento ativo e multidisciplinar de pacientes, cuja doença não responde ao tratamento curativo, por isso têm a finalidade de controlar possíveis dores físicas e outros sintomas, até contornar problemas sociais, psicológicos e espirituais.

Muitas pessoas costumam associar a necessidade de cuidados paliativos para idosos somente para doenças como o câncer. Mas, é importante ressaltar que outras doenças comuns na terceira idade têm indicação de cuidados paliativos, como as demências, insuficiência cardíaca, enfisema pulmonar e a doença renal crônica.

Muitos pacientes oncológicos ou com doenças crônicas em estágio avançado, frequentemente, são internados para controle dos sintomas. É importante que, no processo de desospitalização e alta hospitalar, seja feito um planejamento, visando o apoio da equipe de cuidados paliativos e de reabilitação extra domiciliar. O objetivo é oferecer a melhor assistência, controle dos sintomas, alívio da dor, conforto e acolhimento ao paciente e sua família, desta forma garantindo mais qualidade de vida, ao invés de simplesmente esperar a terminalidade e finitude.

Para esclarecer outras possíveis dúvidas, abaixo separamos 5 informações essenciais sobre cuidados paliativos. Confira:

  1. Uma pessoa tem indicação de cuidados paliativos na terceira idade quando existe declínio funcional, falência orgânica ou síndrome de fragilidade. Esses são sinais que indicam a dependência total ou parcial do idoso para a maior parte das atividades diárias.
  1. Embora não cure, os cuidados paliativos têm como objetivo aliviar a dor ou qualquer outro sintoma invasivo da doença, oferecendo o suporte que o paciente idoso precisa.
  1. Devem ser iniciados no momento do diagnóstico da doença, pois, ao longo do tratamento, assumem uma importância cada vez maior.
  1. Os cuidados são multidisciplinares, por isso, além de profissionais especializados envolvem também o apoio dos familiares.
  1. A essência dos cuidados paliativos consiste em permitir que o idoso e seus familiares possam viver com mais conforto e da melhor maneira.

Paliar é cuidar com amor!

No ano de 2014, um mapeamento global da OMS (Organização Mundial da Saúde), em parceria com o WPCA (Worldwide Palliative Care Alliance), revelou que apenas uma em cada 10 pessoas tem acesso aos cuidados paliativos, e que somente 20 países possuem sistema adequado. O Brasil ainda não faz parte desse grupo.

É papel também dos cuidados paliativos mostrar para as pessoas idosas, que possuem alguma doença crônica ou incurável, que a assistência começa pelo resgate do entendimento de que a vida é finita, mas pode ser levada com mais qualidade e conforto. Portanto, ‘os cuidados paliativos não são um dos caminhos possíveis a seguir – são o único caminho que faz sentido’.

Paliar é cuidar de forma especial, buscando aliviar sempre o sofrimento.

Fonte: SBA Residencial